August 26, 2019

Please reload

Posts Recentes

Animes sobre criação de games: pt3

June 21, 2017

Vamos dar mais uma olhada nos animes que retratam o desenvolvimento de games?
O primeiro artigo falava de "Girls beyond the wasteland": estranhos que nunca fizeram games tentando criar uma Visual Novel semi-profissional.
O segundo artigo falava de "Stella no Mahou": um grupo independente formado por amigas de colegial sonham em fazer games.

Finalmente, com o artigo de hoje, vamos ver um pouquinho do que seria o desenvolvimento numa grande  empresa:

New Game!

 


Aoba Suzukaze é uma garota que saiu do colegial e decidiu não ir pra faculdade.

Ela iria arrumar um emprego numa empresa de games!
Tá, parou aí... por que uma coisa impede a outra? Aliás, não seria mais fácil conseguir entrar como estagiária se ela estivesse numa facul?
Talvez seja uma coisa cultural... tipo, ela não foi pra uma "faculdade séria"... sei lá... mas uma coisa eu sei: EXISTEM cursos profissionalizantes de game design e game development no Japão, e existem desde o começo dos anos 90 (em 1992 já tinha facul focando nisso).

A história começa com esta mocinha arrumando emprego justamente na empresa que fez o jogo que a inspirou a querer fazer jogos, e justamente na equipe da artista que fez os personagens que ela tanto gostou.

A partir daí nós conhecemos as outras funcionárias, seus cargos e responsabilidades.

Ahn? Sim, isso mesmo, funcionáriAs.

 

 

(É claro que elas dão um pulo juntas durante a abertura... qual desenho de menininhas que não faz isso hoje em dia....)

 

Ah, você engoliu que "Stella no Mahou" tinha só meninas por que, afinal de contas, elas faziam doujin-game, e o público do comiket é mais de 70% feminino, mas você não acredita que uma grande produtora trabalharia com time exclusivamente feminino?

Dá uma pesquisada sobre a série "Angelique", da Koei Company, e depois volta aqui, beleza?

Bom, voltando ao anime, não posso falar especificamente de empresas de games, mas eu diria que é bem fiel ao que se passa numa empresa de desenvolvimento de software:
Computadores travando, colegas de trabalho excêntricos, líderes de equipe insatisfeitos, brigas sobre ar-condicionado, datas de entrega cruéis!
Pra você ter idéia, no terceiro episódio ela já está fazendo hora extra!

O bom:
Achei muito legal o modo como mostram o processo. A história começa (se não me engano) 8 meses antes do lançamento do jogo, então dá pra ver até a equipe de testes mandando apontamentos pra equipe de codificação...(embora o foco do anime seja a equipe de desenhistas e animadoras).

O tema em si poderia ser maçante, ou cair em um monte de cenas de clichês, mas no final consegue se manter interessante intercalando ceninhas de dia-a-dia que ajudam a conhecer as personagens com cenas que envolvem o game em si.

Outro ponto positivo que tenho que mencionar é que o mangá "New Game!" é um yon-koma (aquelas histórinhas de 4 quadrinhos, tipo última página da turma da mônica) assim como o "Stella no Mahou", mas ao contrário deste, a adaptação em anime não deixa isso atrapalhar o desenrolar do enredo.

O "estranho":
A Aoba chega na empresa sem experiência nenhuma. Tudo que ela sabe é desenhar a lápis. Sendo que o estilo gráfico do jogo é poligonal (3D)! Ela teria que aprender desde a ferramenta até conceitos de modelagem!

Dão pra ela um livro de Autodesk Maya e deixam ela ficar estudando...
Isso NUNCA aconteceria. Nenhuma empresa, por mais caridosa que seja, vai pagar salário pra um trainee ou um júnior ficar lendo livro e treinando durante o expediente.

E ela não é estagiária.
Nem em multi-nacionais que tem programas de estágio a chefia ia querer ver isso... você já tem que chegar desempenhando! (Eu fui estagiário!)
Quiçá numa empresa pequena, com orçamento contado mês a mês! E ponha na conta que estamos falando da ULTRA concorrida área dos vídeo-games!
Pra cada mané que fica sonhando em trabalhar com isso, tem outros 10 colocando horas e horas de empenho em Unity3D, Blender, Gimp, lógica de programação...

Se eu recebesse a Aoba pra trabalhar na minha equipe, eu ia NA HORA ter um papo com o RH pra saber o por que de terem contratado ela.

Outra coisa, que talvez se deva ao fato de ser uma cultura diferente da nossa... elas tem muita oportunidade pra largar o trabalho, né?
Casa de banhos, barzinho no meio da semana, passeios em shopping, em eventos de games... e no OVA, o episódio inteiro é só elas nas termas, esquiando... elas nem trabalham!

Mas assista! De modo geral, eu recomendo.
Ah! E vai ter segunda temporada.

Me decepcionei quando vi que perderam a oportunidade de chamar de "New Game Plus!" ...

Referências de coisas que eu disse no artigo:
Site da Koei:
https://www.koeitecmo.co.jp/e/business/entertainment/#ruby_party
(e também tem o episódio do Game Center CX em que o Arino joga Angelique Trois... deve ter em inglês no youtube, busca lá.)

Apresentação do evento Comiket para estrangeiros:
http://www.comiket.co.jp/info-a/WhatIsEng080225.pdf

 

E é isso. Deixo vocês com a Best Girl do anime, descendo bala nesses designers retardados:

 



 

Tags:

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga
Please reload

Procurar por tags
Please reload

Arquivo
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2018 por DoutorSocial.